vacina da febre amarela

Na hora de se preparar para uma viagem internacional, muitos documentos são importantes. Em alguns países, é necessário um comprovante internacional de vacinação contra a febre amarela. E com o surto da doença no Brasil, as dúvidas em relação à vacinação e a emissão do certificado aumentaram. Por isso, o You Must Go preparou um guia prático para auxiliar na sua trip. Saiba tudo sobre a vacina da febre amarela antes de viajar!

Esqueci o certificado de febre amarela para a África do Sul

Tudo sobre a vacina da febre amarela

Quem deve tomar?

Pessoas entre 9 meses e 60 anos. Os idosos devem consultar um médico antes de tomar a vacina pois têm a imunidade mais baixa. Gestantes, alérgicos a ovo, pacientes em tratamento com quimioterapia ou que estejam com o sistema imunológico debilitado não devem receber a vacina por conta de riscos de reações adversas.

Onde tomar a vacina da febre amarela

Elas são ministradas nos postos públicos de saúde e em clínicas particulares de vacinação. Pessoas com viagem marcada para países que exigem a vacina contra Febre Amarela têm prioridade. Para isso, é obrigatório o comprovante de marcação da viagem.

Nos estados do Rio, a partir do dia 25, e em São Paulo, no dia 29, está sendo aplicada uma dose fracionada de 0,1 Ml por recomendação da OMS, pois nesses locais há o risco da doença se alastrar, e a medida visa atender o maior número de pessoas. Esta dose protege o organismo por oito anos, mas não é válida como prevenção de viagem. Para emitir o certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), é necessária a dose completa, de 0,5Ml. Para tomar essa dose no Rio e em São Paulo, é necessário levar o comprovante de agendamento de viagem. Nos demais estados a dose é completa.

Como emitir o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP)

Após tomar a vacina, o viajante deve se dirigir a um dos Centros de Orientação para a Saúde do Viajante, na ANVISA, localizados nos aeroportos, portos e fronteiras, portando um documento de identidade (RG, Carteira Nacional de Habilitação, Passaporte ou certidão de nascimento para menores de 18 anos), cartão de vacinação e o comprovante com a data da viagem, pois somente pessoas com viagem marcada pode tirar o CIVP. A emissão do documento é gratuita. Para agilizar o atendimento, o viajante pode fazer o pré-cadastro no site da ANVISA.

Em alguns postos de saúde, como no de Copacabana, o certificado pode ser retirado no 3º andar.

Para quais países a vacina é necessária

A febre amarela é uma doença infecciosa causada por vírus e é transmitida pela picada do mosquito Aedes Aegypti. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 135 países exigem que o visitante esteja vacinado contra a doença antes de imigrar. Para saber se o seu país de destino está nesta relação, visite a página <Saúde do Viajante>, no portal da Anvisa. A vacina não é obrigatória para entrar nos Estados Unidos e nem na maior parte dos países da Europa.

Segunda dose

Desde abril de 2016, o Ministério da Saúde adotou a dose única (0,5 Ml de vacina), não havendo mais a necessidade do reforço após 10 anos. Até então, eram recomendadas duas doses da vacina. Quem se vacinou antes de 2016 também é considerado imune.

Por Mariane Serra, do @viajar.eh.food

Janeiro de 2018


Leia mais:

4 dicas para atrair boas energias em casa

Como acumular pontos com o novo Clube Multiplus

Roteiro de 1 dia em Casablanca, no Marrocos

5 cidades que vale conhecer nos EUA

4 Dicas para seu planejamento de viagem

  1. Quer ajuda para escolher seu hotel? Então, vá no Booking.com. Você consegue os melhores preços, não paga pela reserva e ainda pode cancelar quando quiser.
  2. Vai viajar para o exterior e não quer ficar sem celular? Pegue seu número internacional com a EASYSIM4YOU e garanta uma viagem tranquila.
  3. Quer rodar por aí sem depender das opções de transporte local? Alugue um carro com a rentcars.com e siga tranquilo não esquecendo de fazer um seguro auto.
  4. Curta suas férias assegurado com a GTA Global Travel Assistance e evite a dor de cabeça em caso de acidente, doença, perda de mala ou outras emergências.