Por Monica Barros

Quando se fala em Bariloche, se pensa em estações de esqui. Mas recomendo muito, muito mesmo, visitar a cidade na primavera e verão, porque as flores deixam os visitantes maravilhados com as cores, variedade e abundância.

Vista Hotel Tres Reyes

Não é uma época quente – estamos falando de Patagônia! – e nem tão fria quanto no inverno, os dias são bem mais longos, fazendo com que se possa aproveitar a cidade até mais tarde, e o azul do céu combinando com os tons de azul e verde dos lagos ficarão gravados na retina para sempre.

7 Lagos, Lago Correntoso

Nos hospedamos no perfeito Hotel Tres Reyes, bem em frente ao Lago Nahuel Huapi. A vista do salão do café da manhã é de cair o queixo! Aproveite para desfrutar da excelente refeição admirando o principal cartão postal da cidade. Existem ainda várias opções de hospedagem na Av. Bustillo, também em frente ao lago, hotéis lindíssimos, mas um pouco mais afastados do Centro Cívico, que é o coração de Bariloche.

Hotel Tres Reyes

O Tres Reyes fica numa rua transversal à Calle Mitre, onde o comércio se concentra. Estávamos colados à irresistível Rapa Nui Chocolates e diversos restaurantes, farmácias, agências de viagem e casas de câmbio. Para chocolates um pouco mais em conta, a enorme Chocolates del Turista também é uma ótima opção, costumam dar 10% de desconto em todos os itens. Ainda no centrinho da cidade, a bonita rua V.A. O’ Connor é menos conhecida, mas não menos bonita. Lá está a belíssima Catedral Nuestra Señora del Nahuel Huapi, que vale conferir.

Hotel Tres Reyes

Catedral Nuestra Señora del Nahuel Huapi

Nosso primeiro passeio pelos arredores foi ao imperdível Cerro Otto. O quiosque onde se compra o ticket para o teleférico também ficava muito próximo ao nosso hotel na Calle Mitre. Chegando na base da montanha, não pense muito: embarque no teleférico e aprecie a vista fantástica. Por que não pensar? Porque você vai subir 1405 metros e o vento pode fazer o teleférico parar no meio da subida! Você fica suspenso, esperando o vento dar um tempo e o teleférico continuar a ascensão. Dá um frio na barriga, mas a paisagem vale muito a pena!

Rapa Nui Chocolates

Lá em cima, entre na Confeitaria Giratória, onde poderá almoçar e ter a oportunidade de ver essa paisagem deslumbrante rodando em 360 graus. Sensacional!

Cerro Otto, Confeitaria Giratória

Outro passeio maravilhoso foi o Cerro Campanário. A “aerosilla” é bem mais tranquila de subir, porém a vista consegue ser ainda mais espetacular. Lá do alto a gente vê as montanhas com picos cobertos de neve emoldurando os diversos lagos. É deslumbrante! Como certamente vai estar ventando muito, aproveite o café local para tomar um chocoñac, mistura de chocolate quente com uma dose certa de conhaque para dar uma esquentadinha. De volta ao centro, há a opção de visitar o Cerro Viejo, no km 1 da Av. Bustillo, e de lá pode-se descer num divertido tobogã.

7 Lagos, Lago Espejo

No dia seguinte, fizemos o passeio aos 7 lagos, de tirar o fôlego de tanta beleza. Não sei dizer qual o mais bonito, se o Lago Espejo, o Correntoso, Falkner, Machónico… a todo momento parávamos para admirar as lindas paisagens e tirar muitas fotos. A estrada é cênica do começo ao fim. No Lago Falkner, é possível parar mais tempo e até fazer um piquenique, pois o local tem uma área perfeita para lazer. No meio do caminho fica a famosa e pequenina Villa La Angostura, em Neuquen (já fora de Bariloche).

7 Lagos, Lago Falkner

Seguindo mais 100 km chega-se a linda San Martin de los Andes. Essa cidade é uma pequena jóia, com casinhas de madeira que parecem de conto de fada, flores gigantescas por todos os lados, restaurantes, praças tão arborizadas que dão a sensação de estar num bosque e tem até praia! Recomendo pernoitar aqui para poder passear com calma pelas deliciosas ruas da cidade, desfrutar os restaurantes e curtir a praia formada pelo Lago Lacar, onde é possível praticar caiaque e outros esportes.

San Martin de los Andes

Por fim, em nosso último dia fizemos o tour ao Tronador, vulcão imponente que domina mesmo a paisagem. O passeio consiste em ir até o parque de onde se pode ver o degelo da neve acumulada no vulcão, formando o Rio Manso que deságua no Pacífico. Demos sorte de pegarmos sol todos os dias, o que fez com que a imagem do Tronador todo coberto de neve contra um céu de azul profundo ficasse ainda mais majestosa.

Tronador

Bariloche oferece ainda muitas outras atrações, como Porto Blest, onde está o tradicional Hotel Llao Llao, o tour à Ilha Victoria e cavalgadas. Por isso, programar no mínimo uns 5 dias é um bom começo. Essa região patagônica é muito rica em paisagens, gastronomia e cultura, dá pra ficar vários dias explorando sem cair na mesmice. O que significa que voltei de lá com um super gostinho de quero mais, já que fiquei 4 dias apenas. E essa é uma das melhores sensações de uma viagem, quando voltamos tão apaixonados pelo lugar que mal podemos esperar a hora de voltar!

Hotel Tres Reyes

Onde se hospedar: Hotel Tres Reyes

Passeios: Catedral Nuestra Señora del Nahuel Huapi, Cerro Otto, Cerro Campanário, Cerro Viejo, 7 lagos, Villa La Angostura, San Martin de los Andes, Tronador, Porto Blest, Ilha Victoria

Onde comer: Rapa Nui Chocolates, Chocolates del Turista, Confeitaria Giratória

Fotos: Monica Barros e reproduções da Internet

Leia também:

Dicas gastronômicas de Buenos Aires

Roteiro: Segundo dia em Palermo, Buenos Aires

Roteiro: primeiro dia em Palermo, Buenos Aires

El Ateneo Grand Splendid, em Buenos Aires

Mi Buenos Aires Querido

Quer ajuda para escolher seu hotel? Então, vá no Booking.com. Você consegue os melhores preços, não paga pela reserva e ainda pode cancelar quando quiser.