plaza mayor

Por Renata Araújo

O post de hoje pretende traçar um roteiro de Madri e ajudar o viajante que pretende visitar a capital espanhola.

Apesar dos brasileiros – sobretudo os cariocas – insistirem em preferir Barcelona a Madrid, sou obrigada a defender a cidade onde morei por dois anos e desenvolvi uma relação especial de carinho e admiração. A capital da Espanha é cosmopolita, com atrações diversas, museus sensacionais, bares e restaurantes que deixam qualquer um de queixo caído. O metrô funciona muito bem e leva o morador ou o turista a qualquer canto.

Os madrilenhos são um povo muito animado que saem às ruas em qualquer situação, faça calor ou frio, chuva ou neve. Eles tem o hábito de tomar café na rua, almoçar, jantar… E beber!! Como bebem, os espanhóis! Ou seja, a cidade tem sempre cara de feriado. Para nós, não é uma cidade muito grande, são 3 milhões de habitantes, mas cada bairro tem seu charme distinto e muitos deles valem a pena serem visitados.

Começo por um dos meus preferidos: Chueca. O bairro gay madrilenho, onde héteros são também muito bem vindos, encanta qualquer turista com suas lojas transadas e seus pequenos bares e cafés muito charmosos.

Vale a pena passar uma tarde pelas ruas Fuencarral e Hortaleza, entrando de loja em loja e esticar até a noite, tomar um drinque no Areia (Hortaleza, 92- tel: 913 100 307) um “bar de copas” (como eles falam), marroquino, com muito estilo. Não deixe de pedir um  mojito: drinque cubano que é uma especialidade da casa – inesquecível!

Pertinho dali, pra quem preferir tomar um chocolate ou fazer uma boquinha comendo um sanduíche, uma salada ou um carpaccio,  há o Cacau Sampaka, uma chocolateria que vive cheia de manhã à noite e é uma graça! Pode-se tomar café, almoçar ou jantar  e também comprar chocolates para levar.

Quem gosta mesmo de um chope bem tirado, sobretudo se for no verão, não pode deixar de dar passadinha na Cervejaria Santa Bárbara e tomar um típico choppinho madrilenho, una caña, acompanhado de um presunto de parma.

Outro bairro boêmio e gastronômico que vale a pena ir é La Latina. Em algumas ruas, há uma concentração enorme de bares e restaurantes. Um Baixo Gávea local – para quem é do Rio – com dez vezes mais opções de restaurantes. Destaque para El Viajero – chopp e carne ótimos; Juana la loca – tapas muitos gostosos e Corazón Loco – bar da família Bardén com tapas maravilhosos e ambiente muito agradável.

No verão, todos os restaurantes colocam suas mesas na calçada, mas mesmo no frio, os madrilenhos costumam lotar a porta de cada lugar, bebendo do lado de fora. Além de ser um bom programa pra noite, também vale para um almoço tarde de sábado ou de domingo.

O bairro mais chique de Madrid se chama Salamanca. É lá que ficam as lojas de grifes famosas como Valetino, Gucci, Dior, Prada, concentradas entre as calles Ortega y Gasset e Serrano. A calle Serrano é uma grande avenida que já ganhou até uma eleição internacional como a rua mais bonita do mundo. Vale a pena percorrê-la por inteiro, seja para fazer compras ou simplesmente para olhar vitrine.

Os principais estilistas espanhóis e latinos também tem suas lojas ali e valem a pena ser visitados: Carolina Herrera, Purificación Garcia, Adolfo Dominguez. Falando em loja espanhola, não posso deixar de citar a principal cadeia: El Corte Inglés, onde é possível comprar de tudo, literalmente tudo: de artigos para bebês, passando por eletrônicos e ingressos para shows, além de roupas, acessórios, etc. O bom é que tem uma em cada ponto da cidade.

Outra loja de artigos variados bem interessante instalada na Serrano é a Musgo, muito original.

Ainda em Salamanca, as ruas Ayala e Hermosilla tem lojas bem charmosas e estilosas e também há ótimos restaurantes. Destaque para o Teatriz (C/ De Hermosilla, 15 – tel: 915 775 379) onde funcionava um antigo teatro e tem uma ótima comida com preço razoável.

Pertinho dali, pra quem gosta de artigos de casa, é obrigatória uma paradinha na Zara Home – maravilhosa!! E na Habitat. De roupa, tem a francesa Comptoir de Cottonier, a Lacoste, e de brinquedos, a Imaginarium.

E já que estamos falando de compras, não posso deixar de citar minha loja espanhola preferida: Uno de 50 – acessórios incríveis, de muita personalidade e bom gosto.

Museus são outro grande atrativo da cidade e a boa notícia é que grande parte deles fica lado a lado. O principal, todo mundo conhece, o Prado, fica na rua de mesmo nome, Passeo del Prado, assim como o Thyssen Bornemiza, pequeno, mas com um acervo muito interessante. O Museu Reina Sofia é outro que merece ser visitado.

Enfim, são inúmeras dicas, mas espero que este roteiro de Madri seja útil na sua próxima viagem.

Leia também:

Onde comer em Barcelona

Quer ajuda para escolher seu hotel? Então, vá no Booking.com. Você consegue os melhores preços, não paga pela reserva e ainda pode cancelar quando quiser.